Jogadores brasileiros que marcaram mais de 1 gol na final da Libertadores

Todo mundo sabe que marcar um gol no último jogo de um campeonato é algo que fica eternamente lembrado na mente de jogadores e torcedores. Agora imagina marcar duas ou mais vezes numa decisão? Em finalíssimas de Copas do Mundo, nomes como Pelé, Zidane e Ronaldo marcaram (literalmente) suas respectivas carreiras e a memória de apaixonados de futebol. Em decisões de Champions League, Hernán Crespo, Fillipo Inzaghi e Cristiano Ronaldo também balançaram as redes dos times mais de uma vez. E quando se trata da final da Libertadores da América?

Além de nomes estrangeiros como Magglioni, Pérez e Riquelme, outros oito jogadores brasileiros foram também capazes de marcar na última partida pela competição sul-americana. No próximo sábado (30), no Estádio Maracanã, nomes como Marinho, Rony, Kaio Jorge e Luiz Adriano podem ter a chance de repetir tal feito. A seguir, confira quais são os jogadores brasileiros que anotaram mais de uma vez no grande desfecho da competição. Saiba também quais são os prognósticos de apostas online para o para a final entre Santos e Palmeiras.

 

1962 – Coutinho e Pelé (Santos)

Meses antes do Santos conquistar a América, Coutinho e Pelé já tinham conquistado o mundo. Foi com o bicampeonato mundial no currículo que os jogadores chegaram para disputar a decisão da Libertadores de 1962. No primeiro duelo, Coutinho teve uma atuação brilhante, marcando s dois gols da virada santista sobre os também atuais bicampeões (só que do continente) Peñarol. No terceiro jogo, o do desempate, o Rei Pelé fechou a goleada por 3 a 0 marcando dois gols na segunda etapa. A dupla é até então a única a marcar dois gols numa mesma final.

 

1968 – Tupãzinho (Palmeiras)

Em Paris, nos corredores do Centro de Imprensa da Copa do Mundo de 1998, o ex-técnico Carlos Bilardo dispara: “Pelé, Ademir da Guia e Tupãzinho, aquele que tinha a perna torta igual Garrincha, foram os maiores jogadores brasileiros que vi na vida”. Uma pena que o atleta do Verdão não tenha escutado isso da boca de um treinador campeão. Morreu no ano do próprio bicampeonato mundial argentino, em 1986, com apenas 46 anos. Exatas três décadas antes da declaração de Bilardo, ambos se enfrentaram na finalíssima da Libertadores. Na ocasião, o alviverde acabou sendo vice para o Estudiantes, mas Tupãzinho entrou para a história. Entrou para o seleto grupo de jogadores a marcarem mais de um gol decisões.

 

1981 – Zico (Flamengo)

O Camisa 10 da Gávea é uma unanimidade entre flamenguistas, não é mesmo? Não bastasse toda a sua genialidade ao longo dos anos com a camisa rubro-negra, o meio-campista foi o único a marcar quatro gols numa finalíssima. Na partida de ida entre Flamengo e Cobreloa, há exatos 40 anos, o Galinho anotou dois gols no Maraca lotado. 10 dias depois, em Montevidéu, o jogador repetiu a dose marcando mais duas vezes para sacramentar o primeiro título do clube brasileiro. Atuações que estão eternizadas até hoje na memória dos torcedores cariocas.

 

2006 – Rafael Sóbis (Internacional)

É impossível lembrar da primeira conquista sul-americana do Internacional em 2006 sem antes lembrar da atuação de gala do seu camisa 11. No jogo de ida daquela grande final, o Colorado foi a até a capital paulista enfrentar o atual campeão do mundo. O São Paulo era comandado por Muricy Ramalho, que um ano antes quase fora campeão brasileiro com o Inter. Com dois gols de Rafael Sóbis, o guri de Erechim encaminhou o título da equipe comandada por Abel Braga. Na partida de volta, o empate entre gaúchos e paulistas garantiu que a taça ficasse em Porto Alegre. Quatro meses depois, o time liderado por Abelão e Fernandão venceu o título inédito Mundial de Clubes da Fifa, no Japão.

 

2008 – Thiago Neves (Fluminense)

Frisson. Esse foi o termo usado pelos narradores esportivos para retratar o Maracanã durante a disputa entre Fluminense e LDU, na decisão de 2008. Após perder o jogo de ida por 4 a 2, o Flu precisava reverter o placar a qualquer custo. Mas para piorar a situação, a equipe de Renato Gaúcho saiu perdendo logo de cara, aos três minutos. Entretanto, o time carioca tinha Thiago Neves em noite (quase) perfeita. O camisa 10 simplesmente virou a partida, marcando três gols e levando o duelo para as cobranças de pênaltis. Se não fossem os desperdícios de Washington, Conca e do próprio Neves, o Flu teria sido campeão inédito.

 

2012 – Emerson Sheik (Corinthians)

A primeira final da Libertadores do Corinthians veio pouco depois do seu centenário, em 2012. Após buscar o empate na Bombonera contra o gigante Boca Juniors na primeira partida da decisão, o Timão levou tudo para o Pacaembu. E foi lá que Emerson Sheik tornou-se o sétimo jogador brasileiro a fazer mais de um gol em finais da Libertadores. Os cordéis da cidadela do time argentino foram balançados nos minutos 53 e 72, garantido a taça para a equipe de Tite. O título corinthiano também rendeu vaga ao Mundial de Clubes, em dezembro, na qual o time brasileiro foi campeão contra o Chelsea.

 

2019 – Gabriel Barbosa (Flamengo)

A última final da Libertadores definitivamente ficou marcada para a história da competição. Foi a primeira decisão feita através de uma partida única e em campo neutro. E quem estava em Lima naquela oportunidade era o supertime de Jorge Jesus contra o poderoso River Plate de Marcelo Gallardo. Os brasileiros iam perdendo até os 89 minutos quando Gabriel Barbosa empatou o jogo. Dois minutos depois, a virada com o camisa 9 rubro-negro, tornando-se um dos títulos mais emocionantes da história flamenguista e do futebol brasileiro.

Onde fazer apostas online na grande final?

Neste sábado (30) acontece a segunda final em jogo único da Libertadores, desta vez marcada para um templo do futebol mundial: o Maracanã. Santos e Palmeiras, que já foram campeões no estádio, colocarão a campo quatro títulos sul-americanos. E é claro que as casas de apostas online não poderiam ficar de fora do maior evento esportivo da América. Uma delas é a Instabet, que neste momento está dando o Verdão como favorito, com uma odds (probabilidade de vencer) de 2.23. Já o Peixe está com 3.27, enquanto empate marca 3.06. Além deste site, outros cinco também estão com palpites em aberto para a grande decisão. Confira:


Compartilhe:

Deixe uma resposta