AFC na Copa: Seleção da Holanda

Um dos países mais tradicionais dos mundiais retorna após um hiato de oito anos sem participar do torneio na qual já foi vice em três oportunidades. É claro que estamos falando da Seleção da Holanda, que chega ao mundial como uma das 10 equipes favoritas para vencer. Confira portanto a partir de agora uma análise da história dos europeus dentro da série “AFC na Copa” e saiba como apostar online no site BetAndYou.

  • História da seleção em Copas
  • Melhores desempenhos
  • Piores campanhas
  • Top 5 jogadores históricos
  • Top 5 destaques para o Catar
  • Cotações das partidas no site BetAndYou
  • Cotação para apostar no mercado “Vencedor Final”
Bono

100% até R$200

OBTER BÔNUS

História da Seleção da Holanda nas Copas

A 11ª primeira participação da Seleção da Holanda em mundiais traz um certo otimismo aos torcedores holandeses, principalmente após terem ficado de fora da Rússia, há quatro anos. O país ao longo da história do torneio teve participações marcantes que, apesar de não ter vencido, marcou para sempre o futebol mundial.

Em duas das três oportunidades na qual foi vice-campeã, em 1974 e 1978, a Holanda encantou o mundo com o seu futebol total, sendo apelidada de “Carrossel Holandês”. Recuperando sua jornada na competição que em 2030 completa um século, você confere tudo o que precisa saber dentro da série “AFC na Copa” para ficar mais por dentro desta icônica equipe.

1974-selecao-da-holanda
Na Copa de 1974, a “Laranja Mecânica” de Johan Cruyff (centro) foi finalista.

Melhores desempenhos

Após ter ficado de fora por longos 36 anos sem participar do Mundial, os neerlandeses voltariam na edição de 1974, na Alemanha – e para inovar. Após uma primeira fase invicta, vencendo Uruguai, Bulgária e empatando com Suécia, o país classificou-se para a segunda fase.

Num quadrangular composto por Brasil (atual campeão do mundo), Argentina e Alemanha Oriental, os holandeses tiveram 100% de aproveitamento, vencendo todos os jogos. Com isso, a equipe garantiu-se na sua primeira final, que foi contra os donos da casa.

Numa grande partida, contudo, a seleção holandesa acabou sendo derrotada de virada para os alemães: 2 a 1. Porém, o que ficou naquele mundial foi a consagração de um futebol ofensivo, chamado de “futebol total”, onde todos atacavam e todos defendiam.

O time liderado por Johan Cruyff também foi apelidado de “Laranja Mecânica”, longa-metragem de Stanley Kubrick, em 1971. Isto é, o bicampeonato da Alemanha foi totalmente ofuscado pelo mais novo “filme” que estreou no futebol mundial.

1978

Quatro anos mais tarde, na Argentina, a geração de 74 voltou a fazer bonito, mas desta vez sem o gênio Cruyff. Porém, já com menos intensidade, o carrossel garantiu o segundo lugar de um grupo com Peru, Irã e Escócia – este último foi responsável pela derrota da Holanda na primeira fase.

Já na segunda fase, novamente no formato de quadrangular, o país voltou a ter bom desempenho e sem perder. Foram vitórias contra Áustria, Itália e empate contra a então Alemanha Ocidental, que deram a oportunidade do país ser finalista pela segunda vez consecutiva.

Na decisão, mais uma vez os anfitriões do torneio pelo caminho. Após empatar em 1 a 1 com os argentinos, o jogo acabou terminando 3 a 1 na prorrogação e deu a vitória aos hermanos. Neste mundial, a geração holandesa do futebol inovador terminou

2010-selecao-da-holanda
Na Copa da África, em 2010, os holandeses foram vice pela terceira vez.

2010

Após ressurgir apenas 10 anos depois com a conquista da Eurocopa de 1988 e ter participado das três Copas seguintes, os holandeses voltariam a ficar no quase. Em 2010, na África do Sul, o time liderado por Sneijder, van Persie e Robben voltou a impressionar.

100% na primeira fase, com vitórias sobre Dinamarca, Japão e Camarões. No mata-mata, primeiro veio a Eslováquia e depois o Brasil, nas oitavas e quartas de final, respectivamente. Em ambas vitórias por 2 a 1, a Holanda encontrou a forte seleção uruguaia na semifinal.

Num grande jogo vencido pelos holandeses por 3 a 2, o país voltaria a disputar uma final de Copa do Mundo depois de 32 anos. Porém, esqueceram de avisar a geração espanhola, que vinha apresentando o melhor futebol nos últimos dois anos.

Numa partida marcada por 13 cartões amarelos e um vermelho, deu Espanha por 1 a 0 na prorrogação e o terceiro vice-campeonato para a Holanda. Nas suas boas campanhas em mundiais, precisamos também mencionar as participações de 1998 e 2014, na qual a equipe conquistou a quarta e terceira-colocação, respectivamente.

Piores campanhas e/ou decepções

Tirando as edições de 1934 e 1938, na qual a Holanda foi eliminada sem vencer nenhuma partida de forma direta nas oitavas de final, tem duas decepções para trazermos. A primeira trata-se da Copa de 1990, na Itália.

Naquela oportunidade, o país vinha com o peso de ser a atual campeã europeia de dois anos antes. Após uma primeira fase frustrante, com três empates, os neerlandeses conseguiram apenas a terceira colocação e a chance de disputar o mata-mata.

Nas oitavas, porém, ficou evidente que o país não estava bem: a eliminação veio para a quase unificada Alemanha por 2 a 1, futura tricampeã do mundo. Já em 2006, muita expectativa cercava os europeus, afinal quem não queria ter um time composto pelos “vans”?

O time de der Sar, der Persie e Nistelrooy fez uma boa fase de grupos, vencendo a extinta Sérvia & Montenegro, Costa do Marfim e empatando com a Argentina. Porém, novamente veio o mata-mata e uma seleção encaixada.

Também marcada pela extrema violência, a chamada “Batalha de Nuremberg” teve 16 cartões amarelos e quatro vermelhos – dois para cada lado. A partida terminou 1 a 0 para Portugal de Felipão.

Top 5 jogadores históricos em Copas

  • Johan Cruyff
  • Rob Rensenbrink
  • Dennis Bergkamp
  • Wesley Sneijder
  • Robin van Persie

Top 5 destaques para o Catar

Virgil van Dijk, Denzel Dumfries, Frenkie de Jong, Ryan Gravenberch e Memphis Depay são os principais jogadores que o técnico Louis van Gaal terá à disposição no Catar. Todos muito possivelmente estarão em campo no dia 21 de novembro, quando a seleção holandesa enfrenta a senegalesa na segunda partida do seu respectivo grupo.

2022-selecao-da-holanda
A Holanda que irá jogar no Catar em 2022.
Bono

100% até R$200

OBTER BÔNUS

Cotações das partidas para apostar

O que achou da história da seleção holandesa em Copas do Mundo da Fifa? Fique por dentro a partir de agora das odds do site BetAndYou para as três primeiras partidas do país no Grupo A Ou seja, confira as cotações do mercado “Vencedor da Partida” para apostar online na chave, que tem ainda Catar, Equador e Senegal.

Segunda-feira (21), às 13h, no Estádio Al Thumama – Doha

  • Senegal – 6.2
  • Empate – 3.9
  • Holanda – 1.61

Sexta-feira (25), às 13h, no Estádio Internacional de Khalifa – Doha

  • Holanda – 1.66
  • Empate – 4
  • Equador – 5.35

Terça-feira (29), às 12h, no Estádio Al Bayt – Al Kohr

  • Holanda – 1.344
  • Empate – 4.96
  • Catar – 10.5

Cotação para apostar no mercado “Vencedor” da Copa

Caso decida apostar na vitória da seleção da Holanda nesta Copa, saiba que as chances de acontecer são altas, apesar das odds serem consideradas médias. Isto é, você encontrará a cotação de 15.00 no mercado “Vencedor”, presente na seção “Copa do Mundo 2022 –Vencedor”. Confira a seguir os últimos artigos das seleções que disputarão a Copa a partir de 20 de novembro e aproveite o bônus BetAndYou.  

*as cotações costumam variar no decorrer dos dias que antecedem a Copa.


Compartilhe:

Deixe um comentário