O tabu da afiliação no Brasil

Tão antigo como o mundo das apostas online mundo afora, é a afiliação. O conceito é bem simples, mas pouco comentado no Brasil. Na afiliação de um lado temos um site, portal, ou algum outro ambiente digital que concentre consumidores em potencial. E do outro lado temos um comerciante, que pode ser desde um grande e-commerce como as Lojas Americanas, como um site de apostas por exemplo.

O AFILIADO

Se a Dafiti quer vender tênis de corrida, não seria ótimo para eles fazer propaganda de seus produtos em um site sobre corridas de rua? Ou se a Honda quer vender motos, não seria interessante para eles fazer publicidade em um grande portal online sobre motociclismo?

Essa publicidade poderia ser paga de várias maneiras. Em uma delas, mais convencional, as grandes marcam pagam um determinado valor aos donos ou administradores dos sites pela compra do espaço publicitário, considerando-se o alcance, o público, o conteúdo, a qualidade desse site, etc. Uma outra maneira seria a Dafiti pagar ao site sobre corridas de rua, uma porcentagem do valor da compra que um cliente vindo desse site de corrida gerou ao efetuar uma compra no e-commerce da Dafiti. De maneira bem abrangente, seria mais ou menos essa a definição da afiliação: o recebimento de uma comissão por uma venda.

afiliação
Programa de Afiliados

A AFILIAÇÃO NAS APOSTAS ESPORTIVAS NO BRASIL

Provavelmente eu fui um dos primeiros (ou primeiro) afiliados na área das apostas no Brasil. Isso foi lá no começo de 2008, quando as bets tinham acabado de chegar por aqui. Eu tinha uma comunidade de apostas no Orkut que na época ainda era pequena e tinha cerca de 300 membros (saudoso Apostas2007). Nesse tempo só tínhamos o Sportingbet  por aqui, e o Betboo que até então tinha seu foco em bingo, estava lançando seu sportsbook.

Então tive uma ideia bem simples: se temos um fórum com apostadores de verdade, por que não perguntar ao Betboo se eles não podem dar um bônus de boas-vindas diferenciado para nós? Afinal de contas não havia nenhum outro lugar onde os apostadores brasileiros se concentravam, e para eles seria ótimo que seu produto pudesse ser apresentado diretamente para um consumidor em potencial.

O Betboo achou a ideia ótima e se disponibilizou em dar um bônus maior e exclusivo para nós. Para isso bastaria que o apostador fizesse seu cadastro lá pelo link que eles iam disponibilizar, e o primeiro depósito do cliente seria automaticamente maior do que aquele oferecido para quem se cadastra diretamente pelo Betboo. Além disso me disseram que caso algum cliente tivesse algum problema, que eu poderia levar essa questão ao Affiliate Manager deles, e dessa maneira eu ajudaria a intermediar eventuais questão entre clientes e o site de apostas.

Fiquei bastante satisfeito com isso, pois eu tinha a certeza que estaria fazendo algo bacana para os amigos apostadores da comunidade. Mas não era só isso. O Betboo me disse que quem se cadastrasse pelo link e fizesse um depósito, iria se tornar meu afiliado. E isso quer dizer que uma parte do lucro que esse apostador desse ao site de apostas (me desculpem se isso for decepcionar alguém, mas um site de apostas também vive de dinheiro, e ele vem das perdas dos apostadores) seria destinada ao afiliado. Eu no caso.

Isso em um primeiro momento me pareceu meio estranho. Quer dizer que se o apostador perder, eu ia ganhar? Então eu estaria traindo esses meus amigos? Bom, não sei se seria uma traição, mas esse mecanismo das afiliações já existia há muitos anos na Europa, e não é porque eu não conhecia essa ferramenta na época, que isso era algo novo no mundo das apostas. Mas de qualquer maneira minha intenção foi a de oferecer um bônus maior aos apostadores da comunidade, e a afiliação veio como um algo a mais.

O CRESCIMENTO DAS APOSTAS NO BRASIL

O tempo foi passando, outras promoções foram feitas, outros apostadores se beneficiaram, novos sites de apostas surgiram, problemas entre clientes e operadores apareceram e precisaram de intermediação, e muitos novos sites que visavam ser afiliados foram surgindo.

Começou então a era da criação de conteúdo para converter esses consumidores em potencial, em clientes. Uns dos que logo viram essa oportunidade foram sites sobre apostas de Portugal. Eles devem ter pensado algo como: “Ora pois, aqui em Portugal já apostamos há muito tempo, conhecemos o assunto, então por que não aproveitar que falamos a mesma língua e fazer um site para fisgar uns brasileiros amadores e trazer dinheiro de afiliação aqui para a “terrinha”, ó pá?”. Pois é, a colonização continua mais de 500 anos depois…

E com o passar desses anos essa questão da afiliação começou a ficar um pouco nebulosa no Brasil. Afinal, um país que estava dando somente seus primeiros passos nas apostas esportivas, teria como compreender que o afiliado muitas vezes não é um vilão, e sim um aliado do apostador? Não sei, mas o fato é que o assunto nunca foi muito abordado pelos formadores de opinião. Na verdade chega a haver até mesmo uma omissão ou desinformação proposital desses formadores de opinião hoje, o que só contribui para alimentar esse tabu.

AFILIAÇÃO NO MUNDO

O assunto é tão comum e relevante no universo das apostas online, que existem diversas grandes feiras anuais mundo afora direcionada somente para os afiliados. Certamente uma das mais relevantes é a da IGB (iGaming Business), que é promovida três vezes por ano, nas cidades de Londres, Amsterdam e Berlin. Nessas feiras os principais sites de apostas esportivas, cassino, poker, bingo, forex, etc, fazem os seus stands de venda, onde podem mostrar melhor os benefícios de seus produtos aos afiliados, assim como as vantagens de seus planos de afiliação.

Feira de Afiliados em Londres
Feira de Afiliados em Londres

Inclusive existem diversos sites com conteúdo voltado somente para os afiliados, onde esses criadores de conteúdo podem adquirir conhecimento e juntar força e experiência. Uns do que acompanho sempre é o GPWA (Gaming Portal Webmasters Association), que possui também um ótimo fórum para que haja esse contato direto entre estes importantes personagens do mundo das apostas.

É fundamental que haja algum tipo de proteção ou união entre os afiliados, já que nesse mercado a casa de apostas tem a faca e o queijo na mão. Se do dia para a noite o operador decide dar um chute na bunda do afiliado, ele fica em uma situação de muita desigualdade de forças, e é bastante complicado que ele inverta uma injustiça ou atitude errada e autoritária por parte do site de apostas (você apostador acha essa história familiar, não é?). Site de aposta que não tem muito boa fama para apostadores, também não tem entre os afiliados, acreditem.

MAS ENTÃO O AFILIADO ME AJUDA OU ME ATRAPALHA?

Ok, falei um pouco de como funciona a afiliação, mas vocês ainda estão na dúvida se esse pessoal só quer te ver perder dinheiro, ou se realmente fazem alguma coisa por você?  Isso depende. Nas casas de apostas que você tem conta, sabe exatamente em qual delas você usou o link de um afiliado para criar a sua conta?

Provavelmente você só irá se lembrar disso se for por um bom motivo, como ter tido um bônus exclusivo para criar essa conta. Então você vai pensar, “Aquela minha conta no bet9 eu criei no AFC porque na época tinha um bônus exclusivo de 100% até R$1.000,00.”.  Ou então algo negativo, como “Lembro que criei a conta no site do portuga, porque só ele que fazia propaganda daquele casebre caloteiro de neteller”.

Então é verdade que muitos afiliados realmente só estão interessados em te vender o peixe, mas não estão nem um pouco interessados em te ajudar quando você precisa. Mas há também muita gente bacana e séria no Brasil, que ajuda quase que diariamente os apostadores, seja com bônus exclusivos, tutoriais, torneios e campeonatos gratuitos, estratégias de apostas, cultura apostadora em geral, dicas de apostas, ou até mesmo posso citar a seção Reclame Aqui do AFC, que faz intermediação de questões entre os apostadores e as casas de apostas (sejam esses apostadores afiliados do AFC, ou não).

Sendo assim, concluo esse artigo dizendo que o Afiliado não é um vilão, e ele pode ser o seu melhor amigo caso você precise (e digo por experiência própria, pois já ajudei dezenas de apostadores ao longo desses quase 8 anos nas apostas, e sei como muitas vezes o apostador não tem mais a quem recorrer quando um bookmaker age de maneira unilateral). Você apostador brasileiro deve ficar atento a quem está fazendo a propaganda desse comerciante, e cobrar dele uma posição justa e firme caso você precise.

Afinal de contas, se a Dafiti começa a vender tênis e entregar bola, nada mais justo do que você falar com aquele site de corridas de rua que estava fazendo propaganda da Dafiti, e pedir que eles de alguma maneira te ajudem a receber seu tênis. Não é?

 


Autoralves
data19/12/2016


Compartilhe:

JorgeJorge

Data2017-10-05 04:51:11

Não gostei de como falou dos portugueses, achei ofensivo...

Phelippe Kervin Dos Santos DouradoPhelippe Kervin Dos Santos Dourado

Data2017-07-24 11:03:14

Paulo Rebelo rs

Jotacilio AmaralJotacilio Amaral

Data2017-03-31 12:55:10

O problema são os cara que se vendem e se maquiam de "apostadores profissionais" ou "grandes apostadores de sucesso", e nem sequer comprovam seus resultados, e enquanto isso na verdade vive da renda de afiliados, e não precisa nem torcer pro pessoal perder, pois é garantido que irá perder dinheiro nas casas de aposta.

MarcosMarcos

Data2017-03-09 02:04:29

Muito Bom saber sobre isso, a maioria imagino não sabe sequer que existe isso. Eu mesmo não lembro por onde fiz a abertura das contas.

Deixe uma resposta