UFC 182 – Jones x Cormier

UFC-Event-Thumbnail-UFC-182-UFC-VIP-Experience

  • UFC 182: Jones x Cormier – Sábado – 03/01 – MGM Grand Garden Arena, Las Vegas, NV (EUA) – A partir das 22h00 (horário de Brasília).

  • Card Principal

jonesxcormierPeso-meio-pesado (luta pelo cinturão): Jon Jones (EUA) (c) x Daniel Cormier (EUA)

Chutes rodados. Envergadura absurda. 97% de quedas defendidas. Cotovelos afiados. Sete defesas de cinturão. O campeão mais jovem da história do UFC. Jon Jones tem isso e muitas outras habilidades, trunfos e recordes que o colocam na primeira posição Pound for Pound do MMA mundial. Conseguirá o gordinho de 1.80m derrubar o rei? Acredito que sim.

Sonho de valsa (hahaha!), orca, entre outros insultos pairam diante de Daniel Cormier entre a maioria dos ‘entendidos’ de MMA no Brasil. Mas temos, antes de tudo, que respeitar um atleta olímpico, pois estamos falando de um nível completamente diferente de competição, e o wrestling de Cormier está neste nível.

Não é qualquer um que roda Josh Barnett no ar como um boneco ou arremessa Dan Henderson – mesmo com 40 e poucos anos – de um lado pro outro do octógono. Cormier tem um wrestling sinistro. E mais, treina o mesmo com Cain Velásquez numa base diária na AKA. Casa do campeão linear dos pesados. Também é conhecido como Black Fedor. É uma baita figura o tal de Cormier, tudo que o campeão não consegue ser. Mas ele é o campeão. Basta né.

No octógono, Jones prometeu violência. É daqueles combates que levantarão baldes de dinheiro para Dana White e os irmãos Fertitta, mas alguém realmente consegue distinguir o quão pessoal pode ter se tornado esse encontro? Deve valer a pena.

Não é Brasil e Estados Unidos, Sonnen não está envolvido, são dois lutadores de verdade e fundidos no wrestling americanos que somam diversas outras habilidades disputando um cinturão. Possivelmente uma das maiores lutas possíveis de serem casadas no MMA atual.

Analiticamente a vantagem de Cormier no wrestling só pode prevalecer se o mesmo utilizar de sua explosão ao entrar no raio de ação de Jones. É como ir em direção a um triturador, mas, com alguma perspicácia e coragem – como a demonstrada por Gustafsson – é plenamente possível escapar sem danos permanentes. Por cima, Cormier pode fazer o que quiser desde que esteja atento as cotoveladas do campeão, que por baixo dificilmente escapará ileso. Ou mesmo com seu cinturão.

Num cenário mais provável para o início do encontro, Jones conseguirá controlar a distância, mas sua defesa já furada pelo sueco precisa de reforço. Caso um petardo dos que derrubou até Antonio Silva, o Pezão, pode atravessar sua guarda e causar danos consideráveis. Cormier tem mais do que luta olímpica. O capitão da AKA pode usar do clinch, mas pode ser usado, pois tal arma é das maiores forças de Jones, apesar de subestimada.

A função desse artigo não é adivinhar cenários do combate. Mas sim alertar aos que cerceiam Jones como imbatível ou mesmo não conhecem Daniel Cormier. Ele está vindo. E hoje à noite tudo pode acontecer. Será engraçado.

Daniel Cormier @2.62 (e subindo)

cerronexjuryPeso-leve: Donald Cerrone (EUA) x Myles Jury (EUA)

Uma luta que junta tanto talento dentro do octógono somente a categorias dos leves pode oferecer. Cerrone quer encaixar a sexta vitória seguida que deve o credenciar para disputar o cinturão em uma revanche contra Anthony Pettis. Mesmo com a ótima fase de Rafael dos Anjos e Khabib Nurmagomedov, seu ‘hype’ o coloca na dianteira em caso de mais um resultado bom seguido de um show que levanta as arenas em que Cowboy se apresenta.

E ele já esteve numa situação muito parecida quando precisava de uma vitória sobre Nate Diaz no final de 2011. Perdeu. E demorou a conseguir trilhar o rumo certo novamente. Suas habilidades são incontestáveis, mas sua cabeça pode fazer com que o jovem Myles Jury seja o Déjà vu daquele Diaz endiabrado.

O jovem de jogo completo está invicto profissionalmente – apesar de seu revés para Al Iaquinta no TUF 15 – e é uma ameaça gigante para Cerrone. Se ele busca respeito entre a divisão mais espetacular do UFC, essa vitória é o cenário perfeito.

Jury integra uma nova safra de lutadores que angariam um intenso e versátil jogo que engloba trocação inteligente, wrestling afiado e BJJ de alto nível, formando assim um lutador muito difícil de ser batido em qualquer aspecto da luta. Além disso, pratica algumas das áreas de forma espetacular, como sua movimentação e dominância diante de Diego Sanchéz, adversário feroz em 11 de cada 10 lutas.

Mais carimbado, Cerrone pode ter – como ele mesmo diz – dívidas suficientes para entrar no octógono e atropelar Jury com uma enxurrada de chutes altos e jabs intermináveis, mas pode não ser o seu dia. E aí, não aplicado na defesa de quedas pode virar um grande nome no cartel do invicto Jury.

Mais de 2.5 Rounds @1.57

tavaresxmarquardtPeso-médio: Brad Tavares (EUA) x Nate Marquardt (EUA)

Em resposta a um possível novo corte do UFC, o veterano Nate Marquardt bateu James Te-Huna em seu retorno aos médios e se recuperou mediante sua nova divisão e seu contratante. Melhor habituado e sem se mostrar tão pressionado em relação ao corte de peso, Nate enfrenta o havaiano Tavares em busca de estabilidade.

Na contramão, Tavares, uma promessa da divisão há algum tempo, vacilou com a luta na mão diante de Tim Boetsch e agora precisa reaver o terreno perdido com um resultado melhor.

Analisando o combate, Nate tem sim ligeira vantagem pelo jogo já sacramentado em mais de 15 anos como profissional e boas armas no jogo em pé somadas ao background de um wrestling respeitável. Sua lacuna nesse momento trabalha em duas vias. A idade é benefício e adversário diante do fluorescente Tavares, que conta a seu favor ser o primeiro a derrotar Lorenz Larkin e um apetite de quem ainda precisa provar o que quer.

Versátil, não tem o punch de Nate, nem mesmo malícia suficiente para arrancar uma submissão contra o rival, mas é duro no jogo de clinch e muito mais seguro em relação ao preparo físico, que aparentemente fará bastante diferença ao passar dos minutos.

Brad Tavares ML @2.10

gaudinotxhoriguchiPeso-mosca: Louis Gaudinot (EUA) x Kyoji Horiguchi (JAP)

O japonês representa uma grande esperança de astro vindo do Oriente. Horiguchi, mentorado pelo ex-UFC Kid Yamamoto, tem um dos mais impressionantes arsenais na luta em pé entre todos os lutadores da promoção.

Dinâmico (sim, mais do que a média da categoria, por incrível que pareça), já passou por três bons adversários no evento, sendo dois por TKO. Deve seguir trilhando seu caminho rumo ao topo da divisão diante de Gaudinot, ao menos que o lutador do penteado excêntrico arranque uma finalização no segundo perfeito.

Suas chances se resumem a esse momento. Depois de surpreendentemente derrotar o brasileiro John Lineker com uma guilhotina, Louis é que está próximo a ser guilhotinado do evento em caso de um novo revés. Tampouco bons foram os matchmakers que o casaram com Horiguchi. Nessa corda bamba, uma vitória – extremamente improvável – o colocaria em outro patamar na ascendente divisão que ainda repele a atração do grande público.

Baseado em sua resistência e valentia, Gaudinot pode ouvir o soar da buzina final. Porém, em um bom dia, Horiguchi deve finalizar antes dos três rounds. Será uma boa luta.

Kyoji Horiguchi ML @1.15

lombardxburkmanPeso-meio-médio: Hector Lombard (CUB) x Josh Burkman (EUA)

É exagerada a vantagem refletida pela maioria das casas de aposta neste confronto. Apesar de mais jovem, Burkman é o lutador em desvantagem num embate de dotes físicos que podem levar a vitória, mas a sua vivência no octógono e suas 37 lutas sem nunca ter sido nocauteado comprovam que resistência e uma base completa no que se diz respeito ao MMA o colocam em uma posição mais favorável frente ao cubano do que querem impor.

Além disso, existe o fato inegável de que Lombard já demonstrou que seu cardio pode o deixar na mão em um momento decisivo – na contramão do preparo conhecido de Burkman – e falhou em confirmar favoritismo e expectativa em sua estreia no Ultimate, o que o levou a descer para os meio-médios.

No entanto, seu judô de nível olímpico e o punch considerável o colocam como favorito para essa luta na qual tem muito mais a perder do que ganhar. Próximo ao topo da divisão com 2-0 desde sua descida, o cubano entrará no octógono representando uma nova oportunidade na carreira de Burkman, até então com destaque apenas no WSOF.

Mais de 1.5 Rounds @1.80


AutorApostasFC apostasadmin
data03/01/2015


Compartilhe:

Deixe uma resposta