Tênis – Análise das fases finais de Umag, Gstaad e Atlanta

 

ATP 250 de Atlanta (duro)

isner

2ª Rodada – John Isner (EUA) x Robby Ginepri (EUA) –  24/07 – 19h00

Isner saca mais a cada dia. Um dos, senão o melhor sacador do mundo é o atual campeão em Atlanta, além de ter um vice há dois anos no currículo. Apesar de conterrâneos, ambos americanos se enfrentaram somente por três vezes no circuito. São duas vitórias do gigante Isner frente a um resultado positivo para Ginepri.

Mais em casa considerando os diversos fatores, tais como retrospecto no piso, histórico na competição, o Head to Head, além da atual fase, sem mais delongas, Isner deve realmente varrer Ginepri com poucos ou nenhum percalço durante o encontro.

smyczek

2ª Rodada – Tim Smyczek (EUA) x Marinko Matosevic (AUS) – 24/07 – 21h00

O nome de Matosevic soa hoje em dia como um dos mais antigos nomes dentro do circuito mundial. Seu rosto também. No entanto, o australiano tem apenas 28 anos, ainda não alcançou finais de grande importância, mas já se mostra absurdamente regular, principalmente em eventos como o de Atlanta.

Duas vezes Matosevic teve em sua oposição Smyczek, que também tem o duro como sua especialidade. Um a um no embate anglo fônico. Tim bateu o bom compatriota Ryan Harrison e deve fazer uma dura exibição frente à Matosevic, que não pode ser taxado de outra coisa senão favorito para avançar.

ATP 250 de Gstaad (saibro)

bellucci

Quartas de final – Juan Mónaco (ARG) x Thomaz Bellucci (BRA) – 25/07 – 05h30

Gstaad faz um bem tão grande a Bellucci. O saibro suíço e o brasileiro compartilham de algo especial. Dos seus três títulos em ATPs 250, dois são em Gstaad, inclusive seu maior feito, em 2012, ao bater o sérvio Janko Tipsarevic na decisão. Na atual oportunidade, e gigantesca fase negra vivida pelo paulista foi certamente abatida com duas baitas vitórias sobre Gerald Melzer (AUT) e Federico Delbonis (ARG). A última, inclusive, um tanto surpreendente.

Porém. Sempre existe um porém. Do outro lado alguém com nada menos do que quatorze (!!!) anos de circuito. Evidente de que Mónaco não vive seus melhores tempos. O que não o tira do páreo em um torneio como esse. Inegável é o seu talento, no entanto, no mínimo 50% para vitória de cada lado deve ser considerado o jogo. No último encontro de ambos, em situação semelhante, Bellucci derrubou Mónaco em três sets no Rio de Janeiro.

youzhny

Quartas de final – Mikhail Youzhny (RUS) x Robin Haase (HOL) – 24/07 – 07h30

Reeditando a final de 2013 do evento, Youzhny e Haase devem ir ao terceiro set. Numa fase ruim, o russo é o atual campeão e favorito para avançar, mas reiterar é necessário, 2014 não tem sido um bom ano para o jogador que já foi Top 10.

A respeito do favoritismo de Youzhny, ele se deve ao fato da imensa vantagem de cinco vitórias para uma de Haase no confronto direto e sua maior sala de troféus. Em contrapartida, a única vitória de Haase aconteceu justamente este ano e numa quadra de saibro em Bucareste.

É um jogo duro. Um jogo parelho, onde tudo realmente pode acontecer.

ATP 250 de Umag (duro)

cilic

Quartas de final – Lukas Rosol (RCH) x Marin Čilić (CRO) – 25/07 – 12h30

Um baita jogo. Em ascendente muito boa, Rosol vem fazendo um grandíssimo ano. Talentoso, está em crescente, fazendo frente a grandes nomes do circuito e se firmando rumo ao Top 20. Mas o croata está em outro nível. Čilić tem tudo para defender com sucesso seu título em Umag. No Head to Head, Čilić é soberano.

Tudo isso não quer dizer que ele chegará no topo em casa novamente sem pisar em alguns ovos. Rosol não é bobo no piso e conta com armas para surpreender. É técnico e pode tirar um coelho da cartola, o que é possível, não provável. Mas possível.

tommy

Quartas de final – Pablo Carreño-Busta (ESP) x Tommy Robredo (ESP) – 25/07 – 13h30

Nove anos de diferença entre ambos. Dois espanhóis de muita qualidade. Um já a demonstrou em tanto tempo de carreira e surpreendentemente vem mantendo uma boa linha de resultados no circuito durante a temporada aos 32 anos. O outro já demonstrou lapsos do jogador que pode se tornar, o gigantesco potencial já foi demonstrado e é provado pela sua ótima carreira entre os juniores.

Robredo contra Carreño-Busta é praticamente um espelho em quadra. Um já é bem-sucedido, mas ainda tem fome de ir mais longe, enquanto o outro começa a trilhar sua história no tênis mundial. E está indo bem. Todavia, não é do mesmo nível de jogo que já compartilham, e o fim da linha para Busta no torneio deve mesmo ser a derrota para o compatriota que já conquistou Umag. Mas não descarte os três sets.


AutorApostasFC apostasadmin
data24/07/2014


Compartilhe:

Deixe uma resposta