O futebol brasileiro está ultrapassado?

P.S: Leiam com atenção até o fim, a crítica vai além da nossa seleção.

Bem, galera, na 3ª feira vimos a seleção brasileira ser humilhada em uma semifinal de copa do mundo jogando aqui no Brasil diante de toda sua torcida. Depois disso vieram muitas críticas, umas infundadas outras nem tanto, o que me levou a escrever esse artigo, pois mesmo eu não querendo falar diretamente sobre esse jogo, ele se torna um exemplo vivo e muito recente sobre tudo o que quero argumentar.

Pois neste jogo em questão ficou evidente a superioridade Alemã no plano tático, na postura ofensiva e defensiva, na qualidade técnica dos jogadores, na disciplina e obediência tática sobre o plano de jogo e também como não mencionar, o emocional, pois os alemães tratam o futebol como algo frio e calculista não perdendo a cabeça em nenhum momento do jogo, frieza que em outros esportes é algo padrão, mas no futebol é uma via de mão dupla, pois uma equipe sem um equilíbrio emocional já é fadada ao fracasso quando se defronta com o menor dos obstáculos.

Então amigo, onde você for nesse mundo e disser que é Brasileiro os gringos vão dizer “Brasil, o país do futebol!”, mas será que ainda somos?

Que já fomos um dia o país do futebol revolucionário com a ginga e habilidade de seus jogadores isso é uma pura verdade. Somos pentacampeões mundiais e uma potência quando se trata em revelar grandes craques, mas desde a Copa do mundo de 1970 o que nós Brasileiros contribuímos para o mundo futebolístico?

Garrincha-Foto-Arquivo_LANIMA20120701_0049_26

Vejo uma seleção Holandesa em 1974 com o seu futebol envolvente, encurtando o campo, passes precisos, tática e padrão de jogo definidos rodando o campo com a bola de pé em pé, revolucionando o futebol com um time que ficou conhecido como “Carrossel Holandês”, menção ao carrossel daquele time húngaro de 1954, mas o Carrossel holandês era algo superior, uma evolução, logo vejo essa seleção Holandesa contribuindo mais para o mundo futebolístico do que a nossa própria seleção pentacampeã, pois tudo que se vê hoje em padrão tático com o time todo atacando e defendendo começou lá naquela copa de 1974.

campinho_Holanda_1974

Isso é só mais um exemplo, pois o futebol vem evoluindo muito nos últimos tempos, hoje temos um futebol moderno sendo jogado pelo mundo, a obediência tática se torna algo vital.

Vários times e algumas seleções pelo mundo tentam se adaptar ao novo, tentam se adaptar e copiar aquele futebol que é jogado pelos grandes clubes europeus, onde um modesto Atlético de Madrid que não é recheado por craques, mostra ao mundo que com um padrão de jogo moderno e obediência tática se pode bater de frente com os gigantes da Europa.

Hoje se joga um futebol encurtando o campo, se tenta jogar num espaço entre 10 e 30 metros no máximo, essa é a distância que separa a parte defensiva do time, do ataque. Isso se faz não apenas para atacar trocando passes mais precisos assim diminuindo a chance de erros de fundamento e dar contra ataques para o outro time, mas também para diminuir o espaço de jogo do adversário, ocupando, melhor, “DOMINANDO” o meio campo estrategicamente, assim dificultando qualquer chance de criação do adversário.

Também vemos os times trocando muitos passes, porém aqui há uma divergência, pois alguns trocam passes em demasia sem muita objetividade e outros são mais agudos e muito objetivos, rodam mesmo o campo trocando passes, porém buscam o objetivo do gol o tempo todo.

Outro fator é esse fato de ocupar os espaços, povoando o meio campo, isso não só limita muito a criação adversária como obriga as vezes o adversário ao erro, vimos isso ontem, a seleção Brasileira tomou muitos gols simplesmente em erros de fundamentos e erros táticos, simplesmente pela presença e postura de jogo Alemã, que esbanjou disciplina tática.

Devemos muito a “Jupp Heynckes” ex treinador do Bayern, por esse futebol onde o ataque e defesa ficam muito próximos e assim como já atacam já voltam se defendendo, aquele time do Bayern de sua era foi simplesmente um time perfeito, não apenas pelo material humano e sim pela função tática implantada, era um time de poucos erros e que jogava um futebol de encher os olhos.

Jupp-Heynckes

Hoje vemos essa revolução do futebol acontecer em várias outras partes do mundo. Vemos uma seleção Japonesa com uma disciplina tática perfeita, vemos um time do Chile que além de genial tem uma postura de jogo muito agressiva e mostra um padrão tático muito original apesar de jogar com 3 zagueiros, que é algo que muitos pseudoentendedores de futebol dizem ser ultrapassado e esquecem que hoje a formação tática em (4-4-2, 4-3-3-, 3-5-2, 3-4-3) não se aplica mais da forma que se aplicava antigamente.

Hoje um time ataca de uma forma, com um esquema tático e se defende com outro, isso de uma formação tática apenas e variações para um 4-2-3-1 ou 4-3-1-2 e outras tantas variações já não é algo fixo durante o jogo, o que vemos é as linha defensivas serem mantidas sempre cobrindo as laterais e reforçadas por outra linha defensiva à frente, às vezes como um losango, mas isso sempre com muita proximidade, linhas e formas compactas, isso tira o espaço do adversário, mina a criação e induz o adversário ao erro.

Funciona assim para atacar também, com os jogadores que estão sem a bola se movimentando para criar opções e linha de trajeto da bola para facilitar a troca de passes curtos e rápidos, não venham dizer que isso é o tiki-taka dos espanhóis, isso está errado, como foi dito acima a seleção Holandesa fazia isso em 1974 e eles aperfeiçoaram algo criado pelos húngaros em 1954, como o próprio Bayern reinventou esse estilo que as crianças de hoje viram apenas o Barcelona usar e hoje a seleção Alemã abusa da troca de passes sendo muito mais objetiva e eficaz.

Hoje no Brasil estamos em um atraso futebolístico. Nossos clubes estão perdidos no tempo. Nossos treinadores são antiquados, usam de esquemas táticos e planos de jogo ultrapassados e isso reflete na nossa seleção, desde a base, à principal.  Era sobre isso que eu queria falar.

Precisamos urgentemente de uma revolução, precisamos de sangue novo, ou ao menos precisamos que esses profissionais procurem se atualizar, pois o futebol está em continua evolução e nós Brasileiros paramos no tempo e ainda acreditamos que ter um ou outro craque vai mudar alguma coisa.

Todos nós precisamos cair na real, nosso futebol desatualizado, dependente de jogadas individuais é ultrapassado, esse tipo de revolução precisa começar nos clubes, nas bases até os times principais de cada clube, pois o futebol moderno ainda não chegou ao Brasil dito país do futebol que consegue em uma copa do mundo vivida em sua própria terra envergonhar todo o seu povo no esporte que nossos antepassados nos deixaram o TOPO como legado.

E o emocional? Como não perceber que o emocional no futebol é uma via de mão dupla? Vimos o Brasil tomar uma goleada no primeiro tempo desse jogo contra a Alemanha justamente pelo apagão emocional sofrido, levar um gol num simples erro de postura defensiva aos 11 minutos de jogo acabou com o psicológico dos jogadores.

O emocional que seria positivo com a motivação certa se tornou o nosso maior inimigo nessa partida, pois logo depois dos 23 do primeiro tempo já não existia plano tático na seleção Brasileira, eram erros atrás de erros tanto táticos como de fundamentos primordiais, enquanto isso vimos uma Alemanha fria, sabendo exatamente onde ir e o que fazer quando estava sem e com a bola, do outro lado um Brasil perdido que dava pena, a vontade era de entrar em campo e abraçar cada jogador e levar a todos para uma consulta com algum psicólogo.

emocional

Muitos vão criticar o Felipão com o seu sistema de jogo ultrapassado, vão dizer que ele é um motivador e não treinador, vão falar que o Brasil tem um time muito abaixo dos outros em qualidade técnica e por isso era visto a derrota antes da copa começar, porém se tivesse passado pela Alemanha ninguém falaria nada.

Temos que ter em mente que até um time sem um padrão tático moderno, mas com uma entrega e foco e desde que tenha alguma qualidade técnica, daria trabalho para qualquer seleção no mundo, agora ver um time levar 7×1 isso reporta diretamente ao psicológico, pois não existiu equilíbrio emocional na seleção Brasileira nesse jogo, foram 4 gols no período de 6 minutos, é um apagão claro, o Brasil sentiu a pressão do segundo gol e começou a cometer erros de fundamentos atrás de erros.

Falar que a seleção Brasileira não tem qualidade técnica em seus jogadores pode ser uma besteira das grandes. Porém existem jogadores como Fred, Hulk, Bernard, Dani Alves que deixam a desejar e se eu fosse treinador não teria convocado, mas reparem que o Brasil tem um boa defesa em material humano, o que falta não é qualidade e sim postura defensiva, assim como os volantes, que nesse jogo o espaço ocupado por eles serviram como escada para a criação Alemã.

A culpa por essa derrota pode pesar muito mais na questão emocional, mas o plano tático do Brasil é muito ultrapassado e esse peso cai também sobre toda a comissão técnica e principalmente sobre o Felipão que se preocupou em criar mais uma vez uma família ao invés de um time de futebol, porém dessa vez não tinha Ronaldo e Rivaldo para fazer toda a diferença.

rivaldo

Agora dirigentes e treinadores de todos os clubes do Brasil, ACORDEM! Precisamos nos atualizar, precisamos deixar esse orgulho de lado e buscar o conhecimento no velho continente, pois o até os treinadores de divisões inferiores na Europa sabem aplicar com perfeição um plano de jogo, até esses treinadores são superiores a essa grande demanda de Brasileiros decrépitos e desatualizados que vivem ainda na década de 90 no futebol e treinam nossos clubes de forma medíocre.

Acordem, pois nenhum time no mundo pode esperar que um jogador diferenciado decida sempre a seu favor, nenhum time que se preze pode depender apenas do individual de seus craques e jogar por eles, armar o time em função do craque, observem esse time da Alemanha e tomem esse time como exemplo, é recheado de bons jogadores, verdadeiros craques e mesmo assim nenhum é insubstituível, não é esperado que um ou outro jogador simplesmente faça a diferença, se acontecer, aconteceu, mas o time joga o seu futebol sem depender de apenas um jogador.

Antes da Copa, esse time Alemão teve muitas baixas importantes, vários jogadores considerados titulares e isso não fez diferença para o padrão de jogo da equipe, outro ponto é que não só eu, como muitos admiradores do futebol Alemão, criticamos demais o Löw durante a copa, ele cometeu erros grotescos em matéria de escalação e armação do time, principalmente em manter Lahm no meio campo, sendo que torna talvez o melhor lateral do mundo em mais um meia mediano, como o erro de insistir de sair jogando com um falso camisa 9 tendo Klose no Banco, desde que mudou essa cara do time essa equipe Alemã engrenou e convenceu defensiva e ofensivamente.

Löw soube ouvir as críticas construtivas da imprensa de seu país e ajustou o time, ajustou sua forma de pensar, esse tipo de atitude falta aqui no Brasil, todo treinador pensa que sua opinião é absoluta e blindada contra erros, assim não vem coisas óbvias que ficam claras para quem vê de fora do vestiário, além disso não aceitam críticas e nunca tentam inovar.

Bundestrainer-Joachim-Loew-wird-als-moeglicher-Real-Trainer-gehandelt

Treinadores Brasileiros em sua grande maioria são limitados e previsíveis, não Ousam OUSAR, talvez falta não apenas uma atualização do nosso futebol aqui no Brasil, mas também um pouco mais de ousadia por parte de nossos COACHES.


Autorramos
data10/07/2014


Compartilhe:

Data2015-11-27 05:23:11

Boa matéria, concordo.

Deixe uma resposta