Manobra judicial do Corinthians falha e FPF mantém dérbi com torcida única

Irritado com a notícia de que o clássico com o Palmeiras aconteceria com torcida única, o Corinthians foi à Justiça. Em uma decisão em caráter de urgência, a 10ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo acolheu alguns argumentos do clube e retirou a possibilidade de qualquer sanção do Ministério Público às partes. Com isso, a decisão sobre a realização do clássico voltaria às mãos da FPF. Consultado pelo UOL Esporte, o coronel Marcos Marinho, diretor da federação, manteve a postura de realizar o dérbi do próximo domingo só com palmeirenses no Allianz Parque.

allianz

O desenrolar dos fatos pode colocar um ponto final na discussão que se arrasta desde o início da semana, quando o Ministério Público recomendou que o clássico ocorresse sem visitantes no estádio. Sob a alegação de que há uma tensão exagerada entre as organizadas dos dois clubes, o órgão chegou a ameaçar FPF, Corinthians e Palmeiras de sanções legais caso não fosse atendido.

Com base no parecer do MP, a FPF se reuniu na última quinta e anunciou que cumpriria a orientação, com a qual o Palmeiras, dono do estádio, também concorda. Voz dissidente na discussão, o Corinthians se manifestou horas depois e foi à Justiça, pedindo a venda de ingressos para as duas torcidas ou a suspensão do confronto até que uma decisão definitiva pudesse ser tomada.

Em caráter de urgência, a juíza Luiza Rosas avaliou o caso nesta sexta. Na questão mais importante do processo, ela avaliou que não poderia suspender o jogo para não causar prejuízos ao campeonato e outros torcedores. Da mesma forma, não poderia decidir sobre a venda de ingressos para visitantes por se tratar de um evento privado.

Ela só acatou o pedido do Corinthians no que diz respeito ao Ministério Público. Segundo a juíza, o órgão não tem o poder de prever sanções a quem não cumprir suas recomendações. Rosas ainda observou que a orientação foi dada na véspera, sem a concordância das partes, o que tira o peso da medida. Na prática, a decisão jogou o caso de volta para as mãos da FPF, com a diferença de que agora a federação poderia avaliar sem a pressão do MP.

Nada disso, no entanto, deve mudar a visão da entidade. Em contato com a reportagem, o coronel Marcos Marinho, diretor da FPF, foi taxativo. “A gente mantém a decisão”, disse o cartola, confirmando que o clássico contra o Palmeiras ocorrerá somente para torcedores alviverdes no Allianz Parque.

“Ligamos na federação e eles nos pediram para aguardar uma resposta. Ainda não nos falaram nada. Mas se disseram que vão manter a torcida única, então tudo bem, não podemos fazer nada, se essa é a vontade da federação. A decisão da juíza deixa a federação exposta, já que o MP não pode aplicar nenhuma sanção. A federação tem de explicar porque quer torcida única só nesse jogo. Ela não pode jogar a culpa em ninguém”, disse Luiz Alberto Bussab, diretor jurídico do Corinthians.

Desdobramentos

O Corinthians ameaçou não entrar em campo caso seus torcedores não possam entrar no Allianz Parque no próximo domingo, no clássico contra o Palmeiras. Em nota oficial, o clube do Parque São Jorge pressiona a FPF (Federação Paulista de Futebol) para abrir o estádio para os alvinegros, sob pena de boicotar o dérbi.

“O Presidente Mário Gobi Filho dará entrevista coletiva no final da tarde desta sexta-feira e, caso persista a discriminatória e casuísta decisão de não se vender ingressos para os torcedores corinthianos para a partida do próximo domingo, o Sport Club Corinthians Paulista, envergonhado com a forma com que o futebol foi tratado neste episódio, vem a público informar que não entrará em campo”, disse o texto divulgado pelo clube do Parque São Jorge.

Leia a nota oficial do Corinthians na íntegra:

“Conforme adiantado na data de ontem, o Sport Club Corinthians Paulista informa que buscou o Poder Judiciário para a defesa de seus interesses e dos interesses de seus torcedores, em razão de recomendação ilegal emanada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo.

A MM. Juíza de Direito da 10ª Vara da Fazenda Pública da Capital recebeu a ação do Corinthians e concedeu parcialmente a tutela antecipada pretendida pelo Clube, para excluir a possibilidade de sanção indevidamente imposta pelo Ministério Público na recomendação.

Afirmou textualmente, a ilustre magistrada, que não consta proibição para a aquisição de ingressos por parte dos torcedores do clube visitante.

Assim, não estando a venda de ingressos proibida para os torcedores corinthianos, a responsabilidade pela manutenção da injusta e arbitrária recomendação do Ministério Público passa a ser exclusivamente da Federação Paulista de Futebol.

Nesse sentido, o Corinthians fica no aguardo da remessa da carga de ingressos para seus torcedores, prática reiteradamente adotada nos clássicos disputados entre os quatro clubes grandes clubes do Estado.

O Presidente Mário Gobbi Filho dará entrevista coletiva no final da tarde desta sexta-feira e, caso persista a discriminatória e casuísta decisão de não se vender ingressos para os torcedores corinthianos para a partida do próximo domingo, o Sport Club Corinthians Paulista, envergonhado com a forma com que o futebol foi tratado neste episódio, vem a público informar que não entrará em campo.”

Fonte: UOL Esporte


AutorApostasFC apostasadmin
data06/02/2015


Compartilhe:

Deixe uma resposta