Brasileirão #11: Análise da Rodada

 

alan kardec

São Paulo x Chapecoense – 19/07 (sábado) – 18h30 – Morumbi

São Paulo: Rogério Ceni, Douglas, Antônio Carlos, Rodrigo Caio, Álvaro Pereira, Souza, Maicon, Paulo Henrique Ganso, Osvaldo, Ademilson e Alan Kardec. Téc: Muricy Ramalho

Chapecoense: Danilo, Fabiano, Rafael Lima, Jaílton, Fabiano, Ricardo Conceição, Dedé, Neném, Camilo e Wanderson (Bruno Rangel). Téc: Celso Rodrigues

Sim, a vitória por 2-0 sobre o Bahia na última rodada colocou o São Paulo definitivamente na briga pelo título. Se no papel até então tinha bons nomes, a aquisição de Alan Kardec e a parada para a Copa do Mundo fizeram bem para o tricolor que com Muricy Ramalho a frente da esquadra pode voltar a sonhar com os grandes tempos do tricampeonato nacional. Sem mudanças – Luis Fabiano segue fora -, o São Paulo entra em campo com os mesmos onze do último compromisso e terá pela frente uma Chape um tanto remodelada.

Voluntarioso, o time de Chapecó já mostrou força em seus domínios. No entanto, fora de Santa Catarina somou apenas um dos doze pontos em disputa. Com pelo menos três titulares fora, a equipe do Sul também utilizou do tempo de parada do Brasileiro para treinar. Até mais. Como seu adversário da rodada passada disputava a Recopa Sul-americana, teve ainda mais dois dias para acertos.

Muito embora possa não ter vida fácil, a partida é voltada para uma vitória do São Paulo, que apresenta a seu favor os quase 80% de aproveitamento em sua casa, e que ainda aguarda o retorno de Kaká e deve ficar mais forte. Em tempo, Alexandre Pato parece cada vez mais fadado ao banco de reservas no Morumbi.

ictor e jô

Atlético-MG x Bahia – 19/07 (sábado) – 18h30 – Independência

Atlético-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson, Alex Silva, Josué, Eduardo, Dátolo, Guilherme, Maicosuel e Jô. Téc: Levir Culpi

Bahia: Marcelo Lomba, Diego Macedo (Roniery), Demerson, Titi, Guilherme Santos, Fahel, Léo Gago, Wilson Pittoni, Rhayner, Henrique e Willian Barbio. Téc: Marquinhos Santos

Com a confirmada volta dos ‘selecionados’ Victor e Jô, o Galo retorna à competição nacional depois da vitória por 1-0 sobre o Lanús (ARG) pela Recopa no meio de semana. Precisando reaver a máxima de que ‘caiu no Horto, tá morto!’, o alvinegro de Belo Horizonte tem notável irregularidade em casa. Apesar de já ter treinado sem problemas, o retorno de Réver ainda é dúvida e um Atlético misto, porém, forte, terá a missão de passar a pá de cal que resta sobre o calvário de Marquinhos Santos no comando do Bahia.

Depois de perder o maior destaque – Anderson Talisca – para o Benfica (POR), o tricolor está a uma posição da zona de rebaixamento, vem de uma derrota em casa e não tem em seu treinador um dos nomes mais populares na boca do torcedor. Sem criatividade, a equipe se mostrou um tanto burocrática e cedeu as ofensivas são-paulinas na última quarta-feira.

Resta um coelho tirado da cartola para que o emprego de Marquinhos, que convocou a imprensa nesta sexta (18) para desabafar e afastar a ‘suposta’ pressão que os maus resultados vêm lhe causando, não ruir. Apesar dos pesares, o confronto entre o melhor equilibrado e o cambaleante tende a ser parelho.

giu

Figueirense x Grêmio – 19/07 (sábado) – 18h30 – Orlando Scarpelli

Figueirense: Tiago Volpi, Cereceda, Marquinhos, Thiago Heleno, Kléber, Luan, Dener, Paulo Roberto, Léo Lisboa, Pablo e Everaldo (Ricardo Bueno). Téc: Guto Ferreira

Grêmio: Marcelo Grohe, Pará, Rhodolfo, Pedro Geromel, Saimon, Ramiro, Riveros, Alan Ruiz, Giuliano, Luan e Barcos. Téc: Enderson Moreira

Zero. Esse é o número de pontos somados pelo Figueirense como mandante no Brasileirão. Em contrapartida, os três pontos somados fora de casa contra o Coritiba na última rodada podem ser prova de novos tempos no Figueira de Guto Ferreira. O confronto que marca o encontro entre o pior ataque (Figueirense) e a melhor defesa (Grêmio) da competição até então, pode ser de ‘chateza’ ímpar, mas o jogo foi cantado.

Em estreia um tanto apagada, Giuliano está se ajustando ao tricolor que não marca um gol há 360 minutos. A rede adversária não balançou a seu favor nos últimos quatro compromissos, mas isso tudo serviu para a maior repetição nos treinamentos. No frio catarinense, uma partida truncada pode se esperar. Um vitorioso é um enigma a ser descoberto sábado.

zeballos

Botafogo x Coritiba – 19/07 (sábado) – 21h00 – Raulino de Oliveira

Botafogo: Jefferson, Lucas, Bolívar, Dória, Junior Cesar, Gabriel, Bolatti,  Jorge Wagner (Airton), Yuri Mamute, Wallyson e Zeballos. Téc: Vagner Mancini

Coritiba: Vanderlei, Reginaldo, Leandro Almeida, Luccas Claro, Dener Assunção, Gil, Baraka, Elber, Alex, Robinho e Zé Eduardo. Téc: Celso Roth

Com ambas as equipes precisando vencer a qualquer custo, a partida no Raulino de Oliveira pode ser aberta. É, apesar de considerar a presença de Celso Roth no banco de reservas, a situação é crítica no Coxa e experimentar variações e arriscar são necessidades para a equipe alviverde. Não fosse a obra de arte de Neto Baiano na última rodada e o Botafogo teria beliscado um pontinho na Ilha do Retiro.

Inegável é a evolução do Glorioso e a partida em casa representa a oportunidade de redenção com a torcida. Com a ausência de Carlos Alberto, existe um déficit no sistema criativo, porém, a aposta no jovem Yuri Mamute no setor foi elogiada. Com 13 gols feitos e sofridos até então, o Bota tem um interessante estilo de jogo e conta com o retorno de Jefferson a meta. Inteligentemente buscando dos erros do ‘desesperado’ adversário, a vitória deve acontecer.

gareca

Palmeiras x Cruzeiro – 20/07 (domingo) – 16h00 – Pacaembu

Palmeiras: Fábio, Wendel, Lúcio, Wellington (Tobio), William Matheus, Josimar, Renato, Mendieta, Bruno César, Diogo (Mouche) e Henrique. Téc: Ricardo Gareca

Cruzeiro: Fábio, Ceará, Manoel, Léo, Egídio, Henrique, Lucas Silva, Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart, Marquinhos e Marcelo Moreno. Téc: Marcelo Oliveira

Ricardo Gareca quer reforços. Não esconde isso. Mas, reforçado mesmo terá que estar seu sistema defensivo se quiser medir forças com o ataque do Cruzeiro. Avassaladora é o mínimo do que pode se dizer da equipe de Marcelo Oliveira. Novamente no topo logo de cara, a Raposa foi às compras de forma pontual e já está liquidada sua posição de favorita ao bicampeonato brasileiro. Tentando aplicar a sua cara ao Palmeiras, o argentino precisa neste meio tempo pontuar. E fazer gols.

Maio deste ano, contra o Figueirense, foi datado o último tento alviverde no Brasileirão. A volta de Henrique ao comando de ataque pode surtir algum efeito, no mínimo esperado. Porém, quem levará a bola até o novo artilheiro palmeirense. Valdivia – o chileno – se foi aos Emirados e Wesley é desfalque para o confronto. Em casa, a torcida será fundamental, mas não é suficiente. Em campo, uma derrota no clássico não afetou a quantidade de créditos no trabalho do argentino. Mas, até quando?

Sem ter nada a ver com isso, o Cruzeiro é sim favorito. Duvidar do Palmeiras nestes momentos, todavia, é leviano.

fagner

Vitória x Corinthians – 20/07 (domingo) – 16h00 – Barradão

Vitória: Wilson, Ayrton, Kadu, Alemão, Danilo Tarracha, Josa, Adriano, Richarlyson, José Welison, Caio e Dinei. Téc: Jorginho

Corinthians: Cássio, Fagner, Cléber, Gil, Fábio Santos, Ralf, Elias, Petros, Jadson, Luciano e Paolo Guerrero. Téc: Mano Menezes

Conhecido por montar times que jogam pra frente, como a ‘Barcelusa’ campeã da Série B há algumas temporadas, Jorginho não tem conseguido aplicar seu método em Salvador. Ironia é um time chamado Vitória ter apenas uma em dez partidas. No calor da volta do nacional, o Leão precisa se encontrar, mas enfrenta o Corinthians. Vice-líder, o Timão ainda não perdeu fora de casa e tem ao seu favor o retorno de Elias na ‘volância’. Perfeitamente se encaixou já na estreia e pode fazer a diferença daqui pra frente.

Com muitas peças, porém, sem qualidade, aos aficionados do rubro-negro baiano se espera alguma mudança, ainda que esta seja de postura diante do Barradão. Em sua caça à Raposa, o Corinthians não terá alterações da equipe que bateu o Internacional em sua arena e deve imprimir seu ritmo de jogo no Nordeste.

aranguiz

Internacional x Flamengo – 20/07 (domingo) – 16h00 – Beira-Rio

Internacional: Dida, Wellington Silva, Paulão, Juan, Fabrício, Willians, Aránguiz, Alan Patrick, D’Alessandro, Jorge Henrique e Rafael Moura. Téc: Abel Braga

Flamengo: Felipe, Léo Moura, Chicão, Wallace, André Santos, Luiz Antonio, Recife, Everton, Elano, Paulinho (Mugni) e Alecsandro. Téc: Ney Franco

Não é ainda nesta rodada que Hernane retorna ao ataque flamenguista. Porém, aqui existe uma partida com duas equipes que costumam marcar e sofrer gols na mesma partida. Como recuperação é visto o jogo pelo Colorado. Como um paliativo de recuperação é visto pelo lado rubro-negro. Dias após usar como escudo a campeã mundial, a realidade bateu na porta e lanterna do nacional assusta. O último colocado até a décima rodada foi rebaixado. É assim desde 2011. É hora de algo mudar na Gávea.

Com o retorno do ótimo Aránguiz, além de Alex e Otávio, o Inter em casa é muito forte. Temê-lo faz bem. Uma proposta inteligente pode evitar um vexame rubro-negro no Rio Grande do Sul. A cozinha está desarrumada, mas enquanto Canteros e Eduardo da Silva ainda não podem entrar em campo, jogar a sujeira para os cantos para que a visita não veja pode funcionar.

walter

Fluminense x Santos – 20/07 (domingo) – 18h30 – Raulino de Oliveira

Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Henrique, Chiquinho, Jean, Cícero, Wagner, Conca, Rafael Sobis e Walter. Téc: Cristóvão Borges

Santos: Aranha, Cicinho, David Braz, Bruno Uvini, Mena, Alison, Arouca, Lucas Lima, Geuvânio, Rildo e Gabriel. Téc: Oswaldo de Oliveira

Oswaldo de Oliveira é um baita treinador. Assim como Cristóvão Borges pode vir a ser. Na parte de cima da tabela, as duas boas equipes prometem um jogo de ótima qualidade no fechar da décima primeira rodada. Na vitória sobre o Palmeiras no clássico paulista, a torcida cantou a pedra ao elogiar a evolução tática santista na partida. Evidente foi o maior volume de jogo do alvinegro. Defendendo cinco partidas de invencibilidade o Santos terá que parar um baita quinteto ofensivo do tricolor das Laranjeiras.

Ainda sem Fred – isso é bom ou ruim? –, o Flu conta com muito talento, isso é indiscutível. Basta sua defesa meia boca começar a funcionar, até por isso a chegada do experiente Henrique faz bastante sentido. Frente ao obediente Santos, fazer valer o aprendizado deixado pelo 7 a 1 dos germânicos sobre o Brasil é de praxe. A vontade pode ser muito bem neutralizada pela obediência tática aliada ao talento. Ambas as equipes apresentam tais fatores, o que leva a crer numa partida com pelo menos um par de gols.

renan

Goiás x Sport – 20/07 (domingo) – 18h30 – Serra Dourada

Goiás: Renan, Valmir Lucas, Jackson, Pedro Henrique, Lima, Amaral, David, Liniker, Ramon, Tiago Real e Assuério. Téc: Ricardo Drubscky

Sport: Magrão, Patric, Durval, Ewerton Páscoa, Renê, Wendel, Rithely, Zé Mario, Érico Júnior, Felipe Azevedo e Neto Baiano (Leonardo). Téc: Eduardo Baptista

O mais equilibrado confronto da rodada. Assim pode ser definida a partida entre duas boas surpresas do Brasileirão até aqui. O Goiás e sua ótima defesa, somada a invencibilidade em casa podem levar essa equipe esmeraldina a grandes voos na competição. Partindo desde as estupendas atuações do guarda-metas Renan, a equipe de Ricardo Drubscky não foi fácil adversário para ninguém até aqui e tem surpreendido àqueles que esperavam um saco de pancadas nesta edição do Brasileiro.

Outro trabalho a ser louvado é o do quarto colocado Eduardo Baptista e o Sport. Com a fórmula de ser forte em casa e somar pontos fora, o Leão da Ilha estaria hoje classificado para a Libertadores do próximo ano com um elenco absolutamente regular, no máximo. Sua vitória sobre o Botafogo no retorno após a Copa foi nada menos que prova de que o Sport é adversário duro para qualquer um.

No Serra Dourada com o Goiás em campo, não muitos gols.

ederson

Atlético-PR X Criciúma – 20/07 (domingo) – 18h30 – Arena da Baixada

Atlético-PR: Weverton, Sueliton, Cleberson, Léo Pereira, Natanael, Deivid, Bady, Otávio, Marcos Guilherme, Douglas Coutinho e Éderson. Téc: Doriva

Criciúma: Bruno, Maicon, Ronaldo Alves, Fábio Ferreira, Bruno Cortez, João Vitor, Serginho, Rodrigo Souza, Paulo Baier, Silvinho e Bruno Lopes. Téc: Wagner Lopes

Doriva fez história com o Ituano e começou bem a frente do Atlético-PR. Depois da vitória fora de casa sobre o Flamengo, um adversário modesto na próxima rodada e uma nova vitória podem colocar o Furacão no ‘jogo’ por mais uma temporada. Com a receita de um time bem postado, meio-campo de pegada e um ataque eficiente, a equipe paranaense tem o que se precisa para se manter no Top 10 deste Brasileiro.

Ajustando-se, o Criciúma é forte em casa. Um tigre. Fora, não mesmo. Um ponto foi conquistado em doze disputados fora de Santa Catarina. E apesar da evidente ascendente do time, a partida é um teste da real qualidade e das possíveis pretensões da equipe em 2014.


AutorApostasFC apostasadmin
data18/07/2014


Compartilhe:

Data2014-07-18 22:35:42

Meus sinceros parabéns pro autor do post!

Deixe uma resposta